terça-feira, 12 de junho de 2012

Doce amassado

Minha mãe sempre foi um fantasma. Toda noite aparecia sorrateira no meu quarto. Meus olhos despregavam preguiçosos e vislumbrava seu vulto sorridente... De algum lugar trazia doces amassados, babando eu comia e sujava os dedos. Sua mão gelada enrolava meu cabelo e voltava a dormir. Pela manhã não estava lá tinha ido trabalhar.